05/06/2005 a 11/06/2005
 29/05/2005 a 04/06/2005


 Dê uma nota para meu blog


 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis





Centro x Periferia - Os dois lados da poluição


Este blog faz parte de um projeto universitário e apresentará uma reportagem produzida por uma estudante que cursa o 1º semestre de Jornalismo na Universidade Católica de Brasília. Espero que a reportagem cumpra com o objetivo de demonstrar como a poluição diminui consideravelmente a qualidade de vida da população, seja nos centros, com maior concentração e movimentação de pessoas e veículos, seja nas periferias, sem infra-estrutura adequada para seus moradores. Pretendo mostrar também o quanto as pessoas não estão conscientes sobre a realidade próxima ao seu ambiente de convívio, talvez até por desconhecerem esses ambientes. Essa reportagem está dividida em duas partes. Leia a segunda aqui.

Esta é uma das reportagens do grupo Harém.



Escrito por Joceline às 10h54
[ ] [ envie esta mensagem ]



Os dois lados de um problema 

Joceline Gomes

 

            A poluição no centro das grandes cidades e a falta de saneamento básico em suas periferias diminui consideravelmente a qualidade de vida de sua população. Em Taguatinga, cidade satélite do Distrito Federal, encontramos um exemplo da dicotomia entre o centro urbano e a periferia sem infra-estrutura adequada para seus moradores.

 

Centro de Taguatinga: caos em crescimento

            No centro, o problema é o excesso de veículos (automóveis, ônibus, caminhões) transitando e a poluição conseqüente. Nos momentos de maior movimento do dia, a nuvem de fumaça, o barulho e os engarrafamentos deixam as pessoas estressadas e incomodadas, até mesmo aquelas que já estão acostumadas com a rotina do local.

            Em horários críticos, a quantidade de gases derivados da queima da gasolina na Praça do Relógio, no centro de Taguatinga, atinge índice de poluição 15 vezes maior que o máximo permitido pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente. A constante exposição a esses gases poluentes pode causar, a longo prazo, doenças respiratórias e vários outras patologias a elas relacionadas. Sem contar a poluição visual, pois, no Centro, a enorme quantidade de placas, faixas, cartazes, outdoors e outros elementos visuais deixam a paisagem sobrecarregada e desviam a atenção de pedestres e motoristas, o que pode provocar acidentes. Os inúmeros ambulantes ali instalados e a panfletagem contribuem consideravelmente no aumento da poluição sonora e ambiental do local, respectivamente.

            Atualmente, Taguatinga passa por inúmeras obras de duplicação de vias. É uma cidade em constante crescimento.

 

No centro, o fluxo de automóveis é intenso e constante.

 

 

  Movimentação no semáforo. À direita, um homem procura algo no lixo.

 

Já na Colônia Agrícola...

            Se no Centro o transtorno consiste no excesso de automóveis circulando, na Colônia Agrícola Samambaia, a menos de um quilômetro do Centro de Taguatinga, o problema é exatamente o oposto. A falta de ruas asfaltadas dificulta e até impede a entrada de automóveis e outros veículos, inclusive caminhões da coleta de lixo. Algumas avenidas são completamente intransitáveis, o que justifica em parte a ausência de transporte público na região. Em períodos de chuva, a lama e a água parada se espalham por todas as quadras e a transmissão de energia elétrica é interrompida durante algumas horas.

 

 

Os moradores que possuem automóvel encontram dificuldades ao entrar ou sair de seus condomínios.



Escrito por Joceline às 10h39
[ ] [ envie esta mensagem ]



[ ver mensagens anteriores ]